Usando isótopos de carbono para desmascarar o comércio do falso uísque raro

Imagine uma garrafa de Uísque escocês de 1863. Não é preciso ser um connoisseur para imaginar que se trata de um item raro. Esses uísques são objetos de cobiça de colecionadores que pagam milhares (e ate milhões) de dólares por uma única garrafa.

Entretanto, pesquisadores do Centro de Pesquisa Ambiental das Universidades Escocesas (Scottish Universities Environmental Research Centre – SUERC) utilizaram a marcação por Carbono 14 (14C) para determinar a real idade dos supostamente raros rótulos de uísque. O estudo, que utilizou o decaimento do carbono da cevada de rótulos com idade conhecida (entre 1950 e 2015) para realização de uma curva de calibração, chegou a conclusão de que muitas das supostas garrafas raras de uísque, não eram tão raras assim e que se tratavam de uísques fraudulentos.  Das 221 garrafas analisadas, cerca de 50% eram discrepantes com relação ao ano de destilação descrito no rótulo. Uma delas (Talisker 1863), pode ter sido destilada entre 2007 e 2014. Já o  Laphroaig 1903, pode ter sido destilado após 2011.

Mais uma vez a ciência salvou o dia contra o charlatanismo.

 

Uaite rorse

 

Terapia baseada em realidade virtual tem benefícios reais para alguns tipos de transtornos mentais

111018_VR_feat

Hardware barato e fácil de usar poderia ajudar a terapia de RV a ser popular

Edwin ajustou o fone de ouvido e segurou o controle do jogo com as duas mãos. Ele engoliu em seco. O cara tinha boas razões para estar nervoso. Ele estava prestes a entrar em um ambiente virtual feito sob medida para fazer seu coração bombar mais do que qualquer videogame cheio de ação: Um café cheio de gente.

Determinado a superar seu medo reincidente de que outras pessoas querem machucá-lo, Edwin havia se inscrito em um estudo de uma nova terapia de realidade virtual. A pesquisa teve como objetivo, ajudar as pessoas com paranóia a se sentirem mais confortáveis em locais públicos. Nesse programa, descrito em março no Lancet Psychiatry, Edwin podia visitar uma loja ou embarcar em um ônibus lotado.

Estranhos virtuais podem ser assustadores, assim como pessoas reais. Edwin, que havia sido diagnosticado com esquizofrenia paranóica, frequentemente achava tarefas simples, como compras de supermercado, esmagadoras e exaustivas.

Mas enfrentar multidões simuladas, veio com regalias. Em um computador próximo, estava sentado o psicólogo clínico Roos Pot-Kolder, da Universidade de Amsterdã. Ela poderia personalizar o número de avatares e definir seus níveis de amizade em cada cena. Dessa forma, Edwin poderia progredir em seu próprio ritmo.

Durante uma sessão, Pot-Kolder treinou Edwin para desafiar suas próprias suposições paranóicas. Se ele visse um avatar irritado, ela perguntou: “Quais poderiam ser outras razões para parecer louco, além de querer machucá-lo?” Edwin ofereceu: A pessoa poderia estar cansada ou com problemas pessoais.

Após três meses de tratamento com RV, os passeios públicos foram mais fáceis, disse Edwin, que pediu que seu sobrenome não fosse usado. “Senti mais liberdade, mais relaxada.” Ele até fez um poema para 500 pessoas em um show de talentos, que ele “não ousaria” antes.

Pesquisadores vêm desenvolvendo sistemas de realidade virtual que ajudam pessoas a superar fobias específicas desde os anos 90. A terapia de RV, desde então, expandiu-se para tratar de transtornos de ansiedade mais complexos, como ansiedade social e estresse pós-traumático, e até mesmo a ansiedade associada à esquizofrenia paranóide para pessoas como Edwin.

“O principal ingrediente para um tratamento eficaz para os transtornos de ansiedade é … você precisa enfrentar seus medos”, diz Stéphane Bouchard, um ciberpsicólogo clínico da Universidade de Quebec, em Outaouais, no Canadá. Ele está se referindo ao que é conhecido como terapia de exposição. Com o apoio emocional de um terapeuta, a terapia de exposição ajuda a dessensibilizar o paciente para qualquer que seja o medo. Os pacientes geralmente enfrentam seus medos na vida real ou, se o medo é uma lembrança traumática, repetidamente revivem o evento em sua imaginação.”

Mas confrontar medos pode ser mais fácil em um ambiente virtual. Um paciente com fobia de voo pode decolar e aterrissar muitas vezes em uma única sessão de RV sem o custo e o incômodo dos vôos reais. Veteranos com estresse pós-traumático que não se lembram de uma lembrança traumática em grande detalhe podem representar uma procuração próxima na RV para uma experiência terapêutica mais potente. O mesmo vale para aqueles que reprimem memórias dolorosas.

Até recentemente, o preço e a complexidade dos equipamentos de RV, que podiam custar dezenas de milhares de dólares, limitaram a terapia de RV a alguns laboratórios de pesquisa e clínicas. Agora, há headsets baseados em computador, como o Oculus Rift, que custam apenas algumas centenas de dólares, além de fones de ouvido como o Samsung Gear VR, que transformam smartphones em telas de realidade virtual por cerca de 100 dólares.

Com sistemas mais baratos e mais fáceis de usar, prontos para tornar a terapia de realidade virtual disponível para muitos mais pacientes, os pesquisadores estão testando os limites dos poderes terapêuticos da RV para tratar uma gama mais ampla de distúrbios ou, em alguns casos, substituir completamente o terapeuta.

Texto traduzido por Mayke Alencar; postado originalmente em Sciencenews

This article appears in the November 10, 2018 issue of Science News with the headline, “Erasing Fear: Virtual reality therapy has real-life benefits for some disorders.”

Astrobiologia: uma ciência emergente – Baixar livro online grátis

A Astrobiologia é uma área recente de pesquisa científica, que procura entender o fenômeno da vida em nosso Universo, não se restringindo apenas à vida na Terra, ou mesmo à vida como a conhecemos. Ela aborda algumas das questões mais complexas sobre os sistemas biológicos, como sua origem, evolução, distribuição e futuro, na Terra e, possivelmente, em outros planetas e luas. Por ser multi e interdisciplinar é, acima de tudo, uma ferramenta para facilitar a comunicação e interação entre especialistas de diferentes áreas, e também com a população em geral, já que trata de temas que despertam o interesse geral.

astrobiology-1

Pela primeira vez, temos as ferramentas tecnológicas e o rigor científico à disposição para lidar com alguns dos problemas mais complexos e antigos da humanidade: De onde viemos? Para onde vamos? Estamos sozinhos no Universo? A Astrobiologia procura responder essas perguntas baseando-se na história da vida na Terra e suas relações com o planeta, extrapolando esse conhecimento para o desenvolvimento de metodologias para o estudo de outros mundos, seja com robôs, missões tripuladas ou técnicas astronômicas. Os cientistas dessa área estão desbravando novas fronteiras do conhecimento humano, mas esse é apenas o início desse esforço interdisciplinar e internacional, que já está se estabelecendo também no Brasil. (Texto retirado do site: http://www.tikinet.com.br/iag/)

O Núcleo de Pesquisa em Astrobiologia da USP divulgou um e-book gratuito sobre o tema. Além da edição caprichada, o volume foi escrito de olho no público amador e está muito, muito fácil de entender. Vale a pena dar uma olhada.

Você pode fazer o download aqui

Você está preparado para uma pandemia?

Em 1918-1919 o mundo sofreu sua pior pandemia de gripe, com 20-40 milhões de pessoas morrendo (o CDC reivindica a estatística de até 50 milhões). A pandemia resultou da emergência repentina de uma estirpe de gripe particularmente virulenta. Em 2008 os cientistas reconstruíram a estirpe exata, que foi a gripe A (H1N1).

800px-h1n1_map_by_confirmed_cases-svg
Distribuição de casos de H1N1 no mundo entre 2009 e 2010. Fonte: Wikimedia Foundation

O vírus espalhou-se rapidamente por todo o mundo, principalmente através de rotas comerciais, mas o movimento em massa, resultante de pessoas durante a Primeira Guerra Mundial também foi cogitado como um fator chave desse fenômeno.

Bill Gates afirmou que sente que o mundo não está pronto para uma pandemia de gripe similar atingida. Sua fundação está preocupada com a saúde global, então ele presta atenção a essas questões. Já citei os recentes surtos de Ebola e Zika como evidência de que nossa preparação atual é inadequada.

Ver Ebola: uma visão geral e Vamos falar sobre o Zika Vírus?

Quais são as chances de outra pandemia semelhante a 1918-19? Novas cepas de vírus virulentos surgem o tempo todo. Parece inevitável que um mal particular apareça em algum momento, mas isso é impossível de prever. O CDC afirma que é improvável que a próxima pandemia de gripe será H1N1, porque desde a gripe 1918 cepas de H1N1 têm circulado, e, portanto, há imunidade decente na população. H1N1 também está incluído na vacina anual contra a gripe. (A propósito, se você ainda não recebeu a vacina, não é tarde demais).

Mas há muitas estirpes da gripe. A Gripe aviária um tipo de vírus da gripe A, que infecta principalmente aves, mas começou a gerar também infecções humanas. Existem também outros vírus, como o vírus SARS (síndrome respiratória aguda grave).

Se um vírus tão virulento como o vírus da gripe de 1918 empreitasse uma nova pandemia, seria melhor ou pior nos tempos modernos? Esta é uma boa pergunta. Do lado positivo, temos melhores cuidados médicos agora e temos organizações como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e os CDC que podem responder para tentar limitar a pandemia. No lado de baixo, o transporte aéreo permite uma disseminação muito mais rápida de infecções em todo o mundo.

O melhor método para limitar e parar um surto, uma epidemia (disseminação de um surto para várias comunidades), ou pandemia (uma epidemia mundial) é a vacinação. Ter a vacina pronta antes do tempo é ótimo.

Recentemente foi anunciado que progressos significativos no desenvolvimento de uma vacina ebola foram realizados. Isso pode ser crítico em matar o próximo surto.

[Atualização: a vacina foi desenvolvida com 100% de eficiencia de imunização]

Ver Ebola: uma visão geral

Se não temos uma vacina pronta, no entanto, poderiam levar seis meses ou mais para se desenvolver uma. Mesmo que uma nova cepa de gripe surgisse, e soubermos como fazer a vacina contra, visando a cepa específica levaria seis meses. Descobrir uma maneira de encurtar esse atraso seria extremamente eficaz. É também por isso que os pesquisadores continuam a procurar maneiras de fazer a vacina contra gripe universal. Embora o progresso seja freqüentemente relatado, nenhuma vacina universal eficaz da gripe emergiu.

O CDC não tem planos para responder à pandemia nos níveis global, federal e local. Podemos um dia descobrir como esses planos são eficazes. O CDC também tem informações para indivíduos. Eles incluem métodos de limitar propagação:

  • Tente evitar o contato próximo com pessoas doentes.
  • Enquanto estiver doente, limite o contato com os outros tanto quanto possível para evitar infectá-los.
  • Se você está doente com sintomas de gripe, CDC recomenda que você fique em casa por pelo menos 24 horas após a febre passar, exceto para obter cuidados médicos ou para outras necessidades. (A febre deve desaparecer por 24 horas sem usar remédios).
  • Cubra o nariz e a boca com um lenço quando tossir ou espirrar. Jogue o tecido no lixo depois de usá-lo.
  • Lave as mãos com água e sabão. Se o sabão e a água não estiverem disponíveis, use um esfregaço à base de álcool.
  • Evite tocar os olhos, nariz e boca. Germes se espalharam por ali.
  • Limpe e desinfete superfícies e objetos que podem estar contaminados com vírus como o da gripe.

Estas são boas regras a seguir para qualquer doença infecciosa. A próxima pandemia começará com um surto local que pode não parecer incomum no início, ou pode apenas parecer ser particularmente uma gripe ruim. Como as pessoas na área do surto local reagirão, pode determinar se o surto se torna uma epidemia ou pandemia.

Se uma epidemia mortal ou uma pandemia ocorrer, então a preparação para emergências será fundamental. Você deve ter um kit de emergência pronto. O CDC recomenda que você sempre tenha mantimentos para 3 dias de alimentos e água na casa. Eu pessoalmente acho que isso é uma pequena luz. Apenas alguns anos atrás, minha família foi literalmente coberta de neve por 4 dias. Nós tivemos interrupções de energia em CT (Connecticut) durando 5-7 dias em algumas casas.

Alguns dias de suprimentos é o suficiente para o tipo de emergência que acontece raras vezes em uma década. Mas e o tipo de emergência que acontece uma vez por século? Se você pensar sobre isso, provavelmente encontrará um tipo de emergência como essa em sua vida. Uma epidemia de doença grave pode resultar na recomendação de que as pessoas permaneçam em suas casas por semanas.

Existem outros tipos de emergências incomuns, mas quase inevitáveis, como inundações raras, terremotos e furacões ou outros fenômenos climáticos. Uma ejeção de massa coronal (CME) poderia eliminar nossa rede elétrica, e levar anos para que seja recuperada. É plausível que levaria semanas para restabelecer os suprimentos básicos. E é claro que há sempre o risco de terrorismo.

Se todos tivessem várias semanas de comida, em vez de vários dias, em suas casas, isso seria uma grande ajuda para reduzir a carga sobre o alívio de desastres. Isso não é difícil de fazer, e não requer nenhum tipo de especialidade. Mercadorias secas, como arroz, feijão, legumes, leite em pó e massas, vão durar muito tempo e podem fazer parte da sua rotação normal de alimentos. Os produtos enlatados (com um abridor de latas manual) também duram muito tempo.

Estar preparado é uma dessas coisas que você deve fazer, mas, espero que você nunca precise. Aproveite o tempo para pensar sobre como você está preparado, e o que você faria em uma emergência. Se você estivesse assistindo as notícias agora, e eles estivessem dizendo que há uma epidemia de gripe importante de uma tensão mortal em sua área, e você deve ficar em casa, -se possível – você está preparado?

Traduzido por Cientista Invisível;

Postado originalmente em: Neurologica Blog.

Humildade

Vi essa tirinha no site do genial Zen Pencils, e de imediato recordei do texto Pale Blue Dot ( O pálido ponto azul) do nosso querido Carl fodão das galáxias Sagan. Onde ele faz uma reflexão sobre a nossa (in)significância diante do cosmos, sobre humildade e caráter. Na ocasião, a NASA, com sonda Voyager 1 tirava fotos do sistema solar com a intenção de montar uma espécie de mosaico do sistema solar. uma dessas fotos que a Voyager retornou, é a que segue:

525px-PaleBlueDot

Nela, vemos a Terra a 6,4 bilhões de Km de distância, onde a mesma aparece como um pequenino ponto azul, imagem que deu origem á bela reflexão do Carl Sagan. Deixo aqui, a tirinha, e logo após, o texto do Sagan. Life long and prosper!

zen-pencils-060

Olhem de novo esse ponto. É aqui, é a nossa casa, somos nós. Nele, todos a quem ama, todos a quem conhece, qualquer um sobre quem você ouviu falar, cada ser humano que já existiu, viveram as suas vidas. O conjunto da nossa alegria e nosso sofrimento, milhares de religiões, ideologias e doutrinas econômicas confiantes, cada caçador e coletor, cada herói e covarde, cada criador e destruidor da civilização, cada rei e camponês, cada jovem casal de namorados, cada mãe e pai, criança cheia de esperança, inventor e explorador, cada professor de ética, cada político corrupto, cada “superestrela”, cada “líder supremo”, cada santo e pecador na história da nossa espécie viveu ali – em um grão de pó suspenso num raio de sol.

A Terra é um cenário muito pequeno numa vasta arena cósmica. Pense nos rios de sangue derramados por todos aqueles generais e imperadores, para que, na sua glória e triunfo, pudessem ser senhores momentâneos de uma fração de um ponto. Pense nas crueldades sem fim infligidas pelos moradores de um canto deste pixel aos praticamente indistinguíveis moradores de algum outro canto, quão frequentes seus desentendimentos, quão ávidos de matar uns aos outros, quão veementes os seus ódios.

As nossas posturas, a nossa suposta autoimportância, a ilusão de termos qualquer posição de privilégio no Universo, são desafiadas por este pontinho de luz pálida. O nosso planeta é um grão solitário na imensa escuridão cósmica que nos cerca. Na nossa obscuridade, em toda esta vastidão, não há indícios de que vá chegar ajuda de outro lugar para nos salvar de nós próprios.

A Terra é o único mundo conhecido, até hoje, que abriga vida. Não há outro lugar, pelo menos no futuro próximo, para onde a nossa espécie possa emigrar. Visitar, sim. Assentar-se, ainda não. Gostemos ou não, a Terra é onde temos de ficar por enquanto.

Já foi dito que astronomia é uma experiência de humildade e criadora de caráter. Não há, talvez, melhor demonstração da tola presunção humana do que esta imagem distante do nosso minúsculo mundo. Para mim, destaca a nossa responsabilidade de sermos mais amáveis uns com os outros, e para preservarmos e protegermos o “pálido ponto azul”, o único lar que conhecemos até hoje.

Carl Sagan.

A evolução explicada para leigos

O vídeo, intitulado What is the Evidence for Evolution? (Qual a evidência para a evolução?) postado originalmente no canal Stated Clearly, e legendado pelo Luc Anderssen em português do Brasil, trás as principais evidências para a evolução das espécies, corroboradas por áreas distintas do conhecimentos científico ( embriologia, física, química geologia, biogeografia), mostrando que a Evolução enquanto teoria, vem passando por vários testes de falseabilidade, o que a torna uma teoria bem estabelecida e aceita pela comunidade cientifica.

Contudo, muita gente ainda não entende bem a evolução, e por isso acaba cometendo uma falácia lógica: A falácia da incredulidade pessoal, que resumidamente se caracteriza por:

Você considerar algo difícil de entender, ou não saber como funciona, por isso você dá a entender que não seja verdade.

Veja mais, sobre falácias lógicas em: Um livro ilustrado de maus argumentos

Por exemplo: Mary olha para duas fotografias, a primeira de um peixe, e a segunda de um ser humano, e pergunta a Cleandre, se ela é babaca o suficiente para acreditar que um peixe evoluiu até a forma humana através de um monte de eventos randômicos com o passar das eras.

Mary, não entende a evolução, logo ela deu a entender que quem concorda com a evolução é um babaca.

Cr

Assuntos como a evolução biológica através de mecanismos como a seleção natural, são um pouco complexos, e exigem que as pessoas se esforcem um pouco para compreende-los.

Mas, chega de conversa e vamos ao vídeo:

Pense Cientificamente

Letramento Científico

Darei início aqui, uma série de posts, em que irei abordar, e tentar discutir a importância da educação científica, como ferramenta, não só de produção do conhecimento, mas também, como uma forma lógica e sistemática de pensar, que nos permite enquanto seres humanos ( somos seres humanos, certo?) questionar e avaliar informações que chegam até nós, de uma forma crítica e cética, permitindo assim, não só o pleno exercício da cidadania, mas também da construção da autonomia do nosso próprio processo de concepção pessoal frente a essa sociedade que cada vez mais produz lixo literário, seja ele de noticiários, ou até mesmo de cunho acadêmico, frutos de uma sociedade que não entende de ciência.

Veja também: A navalha de Ockham

Irei abordar aqui, temas como:

  • Método CientíficoMétodo Científico
  • Redação Científica
  • Educação Científica
  • Letramento Científico
  • Transposição Didática
  • Ciência e Tecnologia

Dentre outros…

Veja também: Um dia no laboratório

O Objetivo principal dessa série de posts, é tentar sensibilizar os leitores de que ao desenvolver a capacidade de usar o conhecimento científico, identificar problemas e tirar conclusões com base em evidências, o mesmo poderá tomar decisões mais seguras, não só sobre o mundo natural, mas também, em âmbito sociopolítico e cultural.